Terça-feira, Janeiro 31, 2023
Saúde

Utilização racional de medicamentos

109views

Uma das partes mais difíceis e importantes dos cuidados preventivos é ensinar às pessoas como utilizar os medicamentos de maneira racional. Alguns medicamentos modernos são muito importantes e podem salvar vidas. Mas para a maioria das doenças não é necessário tomar medicamentos. Geralmente, o próprio
corpo combate a doença desde que a pessoa repouse, tenha boa alimentação e, se for necessário, tome alguns remédios caseiros simples.
As pessoas podem pedir medicamentos sem necessidade. O trabalhador de saúde pode sentir a tentação de lhos dar apenas para agradar. Mas, se se fizer isso, as pessoas, quando fi cam boas, são levadas a pensar que foi esse tratamento que as curou. Mas na realidade foi o seu corpo que se curou sozinho.
Em vez de acostumar as pessoas a dependerem de medicamentos, é melhor dedicar algum tempo a explicar porque é que não se deve utilizar medicamentos desnecessáriamente. Também se deve ensinar às pessoas o que elas devem fazer para se tratarem.
Deste modo se ajuda as pessoas a dependerem dos recursos locais (elas mesmas), em vez de recursos vindos de fora (medicamentos). Assim também se protege a sua saúde, porque não existe medicamento que não tenha riscos na sua utilização.

Três problemas de saúde comuns para os quais as pessoas pedem frequentemente medicamentos de que não precisam são  a constipação, a tosse ligeira, e  a diarreia.
Para tratar a constipação o melhor remédio é descansar, tomar muitos líquidos e, se for preciso, tomar paracetamol. A penicilina e outros antibióticos não ajudam

Para tratar a tosse ligeira ou mesmo uma tosse mais forte com catarro ou escarro, é melhor beber muita água que ajuda a soltar o catarro e diminuir a tosse mais rapidamente. Isto é melhor do que tomar um xarope para a tosse. Inalar o vapor de água quente também ajuda e traz maior alívio. Não é
bom tornar as pessoas dependentes de xaropes ou de outros medicamentos de que não precisam.

Para a maior parte das diarreias em crianças é mais importante que estas bebam muitos líquidos e comam bem. Os medicamentos para parar a diarreia e os antibióticos não ajudam a criança a fi car melhor e podem ser perigosos. O segredo para a recuperação da criança é a mãe e não o medicamento. Ajudando as mães a compreenderem isso e a aprenderem o que devem fazer, pode salvar as vidas de muitas crianças.
Os medicamentos são frequentemente utilizados em excesso, tanto pelos mé-
dicos como pelas pessoas em geral. Isso é de lamentar por muitas razões:

  • É um desperdício.
  • Faz as pessoas dependerem de algo de que não precisam (e muitas vezes não
    têm dinheiro para comprar).
  • A utilização de qualquer medicamento constitui um risco. Há sempre a possibilidade de o medicamento fazer mal à pessoa.
  • Além disso, quando os medicamentos são usados com muita frequência para
    problemas que não são graves, deixam de fazer efeito no combate às doenças
    perigosas.
    Um exemplo dum medicamento que perdeu o seu efeito é a tetraciclina. O abuso deste antibiótico nas infecções ligeiras fez com que deixasse de fazer efeito para tratar a cólera. O uso excessivo da tetraciclina fez com que o micróbio da cólera se tornasse resistente
    Pelas razões acima indicadas o uso dos medicamentos deve ser limitado.
    Mas como? Nem as restrições e normas rígidas, nem a limitação para que apenas pessoas experientes sejam autorizadas a prescrever os medicamentos evitou o abuso. Só quando as pessoas estiverem melhor informadas é que será possível o uso limitado e racional dos medicamentos.
    Ensinar e informar as pessoas sobre o uso racional e limitado dos medicamentos é um dos trabalhos importantes do trabalhador de saúde.

Leave a Response