Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Biologia

Teorias Antigas Sobre a Origem dos Seres Vivos

93views

(Fixismo e Transformismo)

Fixismo – Cada espécie vivente, vegetal ou animal, teria surgido de maneira independente, no passado, por acto de criação divina, tendo exactamente as mesmas características que possui hoje.

Carlos Linneus é o defensor desta Teoria Fixista (As especies biológicas são fixas e imutáveis).

Transformismo – É a transformação gradual das espécies no decorrer do tempo, originando novas espécies. Assim, as espécies actuais teriam sido originadas de Ancestrais Comuns por evolução.

Geração Espontânea

Acreditava-se que a vida teria surgido espontaneamente da matéria não viva. Os cientistas observavam que os líquidos contendo material orgânico ficavam infectados de microrganismos.

Pensava-se que esses organismos tivessem sido criados de novo, isto é, que não derivavam de outros semelhantes a si próprios.

Por volta de 1860, um cientista Francês, Louris Pasteur provou através de experiências que estas ideias estavam erradas. Na sua experiência demonstrou que um meio estéril em contacto com o ar contaminado, permitia a proliferação de microrganismos.

A Experiência de Pasteur

As etapas da experiência de Pasteur são delineadas abaixo.

1.Primeiro, Pasteur preparou um nutriente semelhante à uma sopa.

2.Em seguida, colocou porções iguais desse caldo em dois frascos de gargalo longo. Um frasco tinha o gargalo recto; outro tinha um gargalo dobrado em forma de S.

3.Depois, ele ferveu o caldo em cada frasco a fim de matar qualquer matéria viva que o líquido contivesse. Os caldos esterilizados foram deixados descansando, em temperatura ambiente e expostos ao ar, nos frascos sem tampa.

4.Depois de algumas semanas, Pasteur observou que o caldo no frasco de gargalo recto estava nublado e descolorido, enquanto o do frasco de gargalo curvo não havia mudado.

5.Ele concluiu que germes conduzidos pelo ar conseguiam cair sem obstruções no frasco de gargalo recto, contaminando o caldo. Já o outro frasco aprisionava os germes em seu gargalo curvo, impedindo-os de chegar ao caldo, que não mudou de cor ou se tornou nublado.

6.Caso a geração espontânea fosse um fenómeno real, argumentou Pasteur, o caldo no frasco de gargalo curvo teria se infectado porque germes teriam sido gerados espontaneamente. Mas o frasco de gargalo curvo não foi infectado, o que indica que só outros germes podem gerar germes.

A experiência de Pasteur exibe todos os traços de uma investigação científica moderna. Ele começou por uma hipótese e testou a hipótese por meio de uma experiência cuidadosamente controlada. O mesmo processo – baseado na mesma sequência lógica de eventos – vem sendo empregado por cientistas há cerca de 150 anos. Com o tempo, essas etapas se tornaram uma metodologia idealizada que hoje conhecemos como método científico.

Leia mais sobre: O que é uma proteína? ADN- ácido desoxirribonucleico\ e ARN- ácidos ribonucléicos

Teoria de Catostrofismo de Cuvier (1769-1832)

Os cientistas diziam que calamidades de grande impacto, com inundações, tinham feito com que espécies inteiras desaparecessem. Posteriormente, elas eram substituídas por outras, por novas espécies muitas vezes diferentes criadas espacialmente por Deus ou por espécies que tivessem migrado de regiões da terra não afectadas pela calamidade.

Leave a Response