Terça-feira, Janeiro 31, 2023
Saúde

Tabagismo o que é ? Quais os riscos do tabagismo? Como de parar de fumar?

39views

O tabagismo é uma doença crônica desencadeada pela dependência da nicotina. A nicotina é uma substância encontrada em produtos feitos de tabaco, como o cigarro.

O tabagismo é um problema grave de saúde pública que provoca várias mortes evitáveis todos os anos.
O tabagismo é um problema grave de saúde pública e é considerado uma doença, a qual é causada pela dependência da nicotina. A nicotina está presente em produtos derivados do tabaco, tais como cigarro, cachimbo, charuto e tabaco para narguilé, sendo utilizada, portanto, por várias pessoas em todo o mundo.

A doença é responsável por provocar a morte de milhares de indivíduos todos os anos, sendo fator de risco para desenvolvimento de diferentes tipos de câncer e outros problemas de saúde, como catarata, osteoporose, úlcera, enfisema pulmonar e bronquite crônica.

Saiba mais: Sedentarismo: o que é?Consequências e Recomendações

  • Resumo sobre tabagismo
  • Tabagismo é uma doença crônica causada pela dependência da nicotina.
  • Nicotina está presente em produtos derivados do tabaco, como o cigarro.
  • O tabagismo é fator de risco para diferentes doenças e está associado à morte de mais de oito milhões de pessoas anualmente.
  • Estima-se que o tabagismo está relacionado com o desenvolvimento de cerca de 50 enfermidades distintas, como câncer de pulmão, enfisema pulmonar e infarto.
  • Parar de fumar é, antes de tudo, uma forma de proteger a saúde da pessoa e de todos que vivem à sua volta.

O que é tabagismo?
Diferentemente do que muitos pensam, o tabagismo é considerado uma doença crônica. Ele é causado pela dependência da nicotina, uma substância química presente no tabaco e que é classificada como uma droga psicoativa, a qual atua no sistema nervoso central. A nicotina produz uma sensação de prazer ao ser consumida, o que pode levar ao abuso da substância e à dependência. Leia também sobre: O que é trombose? Conheça seus tipos, causas, tratamento e mais

O tabagismo é responsável por desencadear uma série de doenças que são causadoras de várias mortes todos os anos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabaco é responsável por levar à morte mais de oito milhões de pessoas anualmente, sendo mais de sete milhões dessas mortes resultado do uso direto e cerca de 1,2 milhão resultado da exposição de não fumantes ao fumo passivo.

O que é tabagismo passivo?
O tabagismo passivo ou fumo passivo é a inalação, por indivíduos não fumantes, da fumaça provocada pela queima de cigarro, assim como de outros produtos derivados do tabaco, como cachimbo, charuto e narguilé. De maneira geral, crianças são mais suscetíveis ao tabagismo passivo. Veja também :AVC (Acidente Vascular Cerebral) o que é? Sintomas, causas e tratamento do AVC.Tipos de AVC

Na fumaça do tabaco existem mais de 7000 substâncias químicas, sendo quase 70 desses compostos responsáveis por desencadear câncer. Portanto, ao inalar a fumaça, o fumante passivo está sujeito ao desenvolvimento de problemas de saúde causados por essas substâncias tóxicas. A exposição à fumaça pode provocar problemas como rinite, tosse, asma e até mesmo levar ao desenvolvimento de câncer e enfisema pulmonar se a pessoa for exposta por longos períodos.

Uma grande vitória na luta contra o tabagismo e para reduzir o tabagismo passivo é a Lei nº 12.546, de 14 de dezembro de 2011. De acordo com essa lei, é proibido o uso de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos ou qualquer outro produto fumígeno, derivado ou não do tabaco, em recinto coletivo fechado, privado ou público.

Quais os riscos do tabagismo?
O tabagismo é considerado um grave problema de saúde pública no mundo, sendo responsável por milhares de mortes todos os anos. Estima-se que o tabagismo está relacionado com o desenvolvimento de cerca de 50 enfermidades distintas, dentre as quais podemos destacar:

  • enfisema pulmonar;
  • bronquite cônica;
  • asma;
  • infarto agudo do miocárdio;
  • aneurismas;
  • AVC (acidente vascular cerebral);
  • úlcera;
  • catarata;
  • osteoporose;
  • impotência;
  • diferentes tipos de câncer, tais como câncer de pulmão, câncer de laringe, câncer de faringe, câncer de estômago e leucemias.

Além disso, o uso do tabaco por mulheres pode causar menopausa precoce e dificuldade para engravidar. Em gestantes, pode provocar abortos, partos prematuros e nascimento de bebês com baixo peso.

Não podemos deixar de citar que pessoas fumantes apresentam menor resistência física e menos fôlego que não fumantes. O uso do tabaco também torna os cabelos mais opacos, dentes amarelados e observa-se uma aceleração do envelhecimento.

Veja também: Infarto (ataque cardíaco): sintomas, causas, tratamento e prevenção

Como de parar de fumar?
Como vimos ao longo do texto, o tabagismo é um problema grave que leva várias pessoas à morte todos os dias. Parar de fumar é, portanto, antes de tudo, uma forma de proteger a saúde do indivíduo e de todos que vivem à sua volta. Assim sendo, caso a pessoa não consiga parar de consumir tabaco sozinha, é fundamental procurar ajuda.

O médico definirá a melhor estratégia para o tratamento contra o tabagismo analisando o grau de dependência do indivíduo, sua motivação para parar de fumar e se há questões comportamentais e emocionais relacionadas à dependência. Problemas como ansiedade e depressão, por exemplo, podem ser gatilhos que levam a pessoa a fumar e devem ser tratados.

Parar de fumar é um passo importante para evitar várias doenças e melhorar a qualidade de vida.
Ao interromper o uso do tabaco, o paciente pode enfrentar sintomas de abstinência, como uma vontade muito grande de fumar, boca seca, dores de cabeça, ansiedade, nervosismo, tontura e tremores. Apesar de nem sempre a interrupção do uso do tabaco ser uma tarefa fácil, os benefícios à saúde podem ser sentidos quase imediatamente. A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) destaca pontos importantes.

  • Cerca de 20 minutos após a interrupção do uso do tabaco, o ritmo cardíaco e a pressão arterial abaixam.
  • Ademais, o nível de monóxido de carbono no sangue cai para os valores normais após cerca de 12 horas.
  • Em cerca de duas a 12 semanas, há uma melhora na função pulmonar e circulação sanguínea.
  • Em um ano, o risco de desenvolver uma doença coronariana cai pela metade em relação a um fumante.
  • Dentro de dez anos, o risco de desenvolver câncer de pulmão cai para aproximadamente a metade em relação a um fumante.
  • Em 15 anos, o risco de doença cardíaca coronária é o mesmo de uma pessoa não fumante.

Leave a Response