Terça-feira, Janeiro 31, 2023
Saúde

Sugestões para o trabalhador de saúde

116views

Eis algumas sugestões que podem ajudar a satisfazer tanto as necessidades humanas como as de saúde:
1. SER CARINHOSO
Uma palavra amiga, um sorriso, uma palmadinha no ombro, ou qualquer outro gesto de carinho é, muitas vezes, mais importante do que qualquer outra coisa que se possa fazer.
Tratar as pessoas como iguais.
Mesmo quando se está com pressa ou preocupado, é preciso não esquecer os sentimentos e as necessidades das outras pessoas. Muitas vezes ajuda se nos perguntarmos, “O que faria eu se esta pessoa fosse da minha família?“

Tratar os doentes como seres humanos. Ser bondoso em especial com aqueles que estão muito doentes
ou a morrer e ser amável com as suas famílias. Mostre que se preocupa com eles.

TER COMPAIXÃO
O carinho, muitas vezes, ajuda mais do que um medicamento. Nunca tenha receio de mostrar que se preocupa com as pessoas.

2. COMPARTILHAR OS SEUS CONHECIMENTOS
A primeira função do trabalhador de saúde é ensinar o que sabe. Isso significa ajudar as pessoas a aprender como podem evitar as doenças. Também signifi ca ajudar as pessoas a aprenderem a reconhecer e a tratar as doenças, incluindo o uso adequado de remédios caseiros e de medicamentos comuns.
Muitos problemas de saúde comuns podem ser tratados pelas pessoas nas suas próprias casas.

3. RESPEITAR AS TRADIÇÕES E AS IDEIAS DAS PESSOAS
O facto de se aprender coisas sobre a medicina moderna, não quer dizer que se pode desprezar os métodos de tratamento tradicional da comunidade. Muitas vezes perde-se o carinho humano na arte de curar quando se começa a utilizar a ciência médica. É uma pena porque… Se puder utilizar o melhor da medicina moderna juntamente com o melhor da medicina tradicional, a combinação pode ser mais valiosa do que utilizar apenas uma delas.
Desse modo, pode-se enriquecer a cultura da comunidade e não retirar-lhe o seu valor.
Quando se sabe claramente que alguns remédios caseiros ou hábitos são prejudiciais (por exemplo, colocar fezes (cocó) no cordão umbilical do recém-nascido), é necessário mudar esses hábitos. Mas isso deve ser feito com cuidado, respeitando aqueles que acreditam nisso. Nunca se deve dizer apenas às pessoas que elas estão erradas. Deve-se ajudar as pessoas a entender o PORQUÊ de fazer algo diferente do habitual.
As pessoas levam tempo a mudar as suas atitudes e tradições e são fiéis àquilo que pensam que está correcto.

Isso deve ser respeitado.
A medicina moderna não tem a solução para todos os problemas. Já ajudou a resolver alguns mas também provocou outros. As pessoas habituaram-se a tomar medicamentos em excesso e esqueceram-se de como cuidar de si próprias e das outras ao seu redor.
É necessário respeitar as pessoas, suas tradições e dignidade humana. É preciso aproveitar os conhecimentos e habilidades que possuem.
Procure formas de partilhar o seu conhecimento.

4. RECONHECER AS SUAS LIMITAÇÕES
Não importa se tem poucos conhecimentos ou habilidades. Pode-se fazer um excelente trabalho desde que se saiba o que se está a fazer. Ou seja:
Fazer apenas aquilo que se sabe. Não fazer coisas que não se aprendeu ou de que não se tem experiência quando se sente que isso pode fazer mal ou pôr as pessoas em perigo.
Trabalhar com os curandeiros e parteiras tradicionais – não trabalhar contra eles.
Aprender com eles e encorajá-los a que aprendam consigo.
Usar o bom senso e reconhecer as suas limitações!
Muitas vezes, a decisão do que se deve ou não fazer depende das circunstâncias e das possibilidades de transferir o doente ou conseguir ajuda de alguém mais experiente.
Não se deve correr riscos desnecessários. Mas quando existe o perigo da pessoa piorar se não se
agir logo, não se deve ter receio de fazer alguma coisa que pensamos que poderá ajudar.
Fazer sempre o melhor que se pode para proteger a pessoa doente sem se preocupar consigo próprio.

5. CONTINUAR A APRENDER
É preciso aproveitar todas as oportunidades para aprender mais, lendo livros ou outra informação a que se tiver acesso. Isso ajuda a ser um melhor trabalhador, professor ou pessoa.
É bom estar sempre pronto para fazer perguntas aos médicos, aos agentes e técnicos de saúde, aos extensionistas da agricultura ou a qualquer outra pessoa com quem se possa aprender alguma coisa.
Nunca perder a oportunidade de fazer cursos ou receber treinos de capacitação.
A nossa primeira obrigação é ensinar e se não se continuar a estudar para aprender mais, em breve não temos nada de novo para ensinar aos outros.

6. PÔR EM PRÁTICA AQUILO QUE SE ENSINA
As pessoas têm tendência a prestar mais atenção ao que se faz do que ao que se diz. Por isso, sendo um agente de saúde, tem de tomar um cuidado especial com o seu comportamento, de modo a dar bons exemplos à comunidade.
Antes de pedir às pessoas para construírem latrinas, o agente de saúde deve construir primeiro uma, para a sua própria família.
Além disso, ajudando a organizar um grupo de trabalho – por exemplo, para cavar um buraco para a deposição do lixo – o agente de saúde deve ser exemplar, participando activamente como as outras pessoas.
Continuar a aprender
– Não deixe que alguém lhe diga que há coisas que não é preciso aprender ou saber.
Praticar aquilo que se ensina (senão, quem vai escutar o que você diz?).

7. TRABALHAR COM PRAZER
Quando se quer que as pessoas tomem parte na melhoria da comunidade e se preocupem com a saúde dela, o agente deve ter prazer em participar nessas actividades. Se não, quem é que vai querer seguir o seu exemplo?
Deve-se procurar fazer com que os trabalhos da comunidade sejam divertidos. Por exemplo, fazer uma vedação para afastar os animais duma fonte de água pública pode ser um trabalho pesado. Mas se toda a comunidade apoiar para que este trabalho se torne numa ocasião festiva – talvez com comida e música – o trabalho será feito mais depressa, com alegria, e pode tornar-se divertido. As crianças trabalham mais e com gosto se transformarem o trabalho num jogo.
O trabalhador de saúde pode ser pago ou não pelo trabalho que faz.
Mas nunca se pode recusar a cuidar de uma pessoa que é pobre ou que não pode pagar, nem pode tratá-la mal.
Deste modo se ganha o amor e o respeito das pessoas. Isso vale muito mais que o dinheiro.

8. PENSAR E AJUDAR OS OUTROS A PENSAREM NO FUTURO
Um agente de saúde responsável não espera até que as pessoas adoeçam. Procure evitar a doença antes que ela surja. É preciso encorajar as pessoas a tomarem medidas hoje para a protecção futura da sua saúde.
Muitas doenças podem ser prevenidas. Então, a sua responsabilidade é ajudar as pessoas da sua comunidade a compreender as causas dos seus problemas de saúde e a encontrar formas de os evitar ou eliminar.
A maior parte dos problemas de saúde tem diversas causas, ligadas umas às outras. Para resolver o problema, deve-se procurar e tratar as causas, tentando chegar à raíz do problema.
Trabalhar pelas pessoas e não pelo dinheiro. (As pessoas valem muito mais do que o dinheiro).

Por exemplo, a diarreia é uma causa de morte muito frequente em crianças. A diarreia é causada em parte por falta de limpeza (saneamento do meio e higiene pessoal). Pode-se prevenir com a construção de latrinas e ensinando as regras básicas de higiene.
As crianças que mais sofrem e morrem por diarreia são aquelas que têm uma alimentação inadequada.
Os seus corpos não têm força para combater as infecções. Por isso, para evitar a morte causada por diarreia, devemos prevenir a malnutrição.
Porque será que muitas crianças sofrem de malnutrição?
Será porque as mães não sabem quais são os alimentos mais importantes (por exemplo, o leite materno)?
Será porque a família não tem dinheiro sufi ciente ou terra para cultivar os alimentos de que necessita?
Será porque poucas pessoas controlam a maior parte da terra e da riqueza?
Será que os pobres não possuem os meios para fazerem o melhor aproveitamento da terra?
Será que as famílias têm mais filhos do que podem sustentar?
Será que os pais gastam o pouco dinheiro que têm a beber?
Será porque não conseguem compreender que compartilhando e trabalhando juntas, podem mudar as condições em que vivem e morrem?

Muitas destas questões, podem estar relacionadas com as causas de morte das crianças na comunidade.
Como agente de saúde é da sua responsabilidade ajudar as pessoas a compreender e a resolver estes problemas.
Mas é importante lembrar que, para evitar as mortes causadas por diarreia, é necessário muito mais do que latrinas, água potável e uma boa nutrição.
O planeamento familiar, um melhor aproveitamento da terra e uma distribuição mais justa da riqueza e da terra são, a longo prazo, mais importantes.

Leave a Response