Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Saúde

Quais os melhores e os piores alimentos para a flacidez?

127views

A pele flácida pode atingir diversas regiões do corpo — desde o rosto e o pescoço, até a barriga e as coxas E apesar de possuir diversas causas, a questão também pode estar relacionada à nossa alimentação, sabia? Confira, então, quais são os melhores e os piores alimentos para a flacidez:

O que é flacidez?
De acordo com o cirurgião plástico Dr Fernando Bianco, a flacidez é classificada como a falta de fibras de sustentação da pele — mais especificamente o colágeno e a elastina, proteínas que garantem a firmeza da mesma e estão presentes em tendões e ligamentos.

“Existem dois tipos de flacidez, a muscular e a dérmica. A flacidez muscular é profunda e mais difícil de ser tratada, pois aparece em decorrência do desgaste das fibras de sustentação dos músculos. Já a flacidez dérmica apresenta uma desorganização dessas fibras”, explica o médico.

Alimentos e flacidez: qual a relação?
Ainda segundo o especialista, o excesso de gorduras saturadas e carboidratos refinados, por exemplo, aumentam a inflamação da pele. O que, por sua vez, causa o rompimento do colágeno e da elastina presente em nosso corpo.

Por outro lado, uma dieta equilibrada, com um bom consumo de proteínas, fibras e água, aliada aos exercícios físicos (principalmente os de força), representam medidas essenciais para manter a firmeza da pele e dos músculos.

Melhores alimentos para flacidez
Dr Fernando Bianco cita, então:Proteínas de alto valor biológico (carnes bovinas pouco gordurosas, aves, peixes, ovos, whey protein);
Cereais integrais;
Castanhas;
Frutas cítricas;
Frutas vermelhas;
Por fim, vegetais verde-escuros.
Piores alimentos para a flacidez
Pães, massas e bolos preparados com farinha de trigo branca;
Gordura saturada em excesso;
Açúcar refinado.

Outros hábitos importantes
“O melhor tratamento para prevenir a flacidez é levar uma vida saudável. Além disso, equilibrar alimentação e exercícios, sem grandes variações de peso, também é algo importante”, recomenda o médico.

Com relação ao combate, ele diz que alguns procedimentos que estimulam a produção de colágeno e elastina podem ajudar, por exemplo, eletroterapias e o renuvion. “Trata-se de um jato de plasma com radiofrequência que faz a coagulação subdérmica, promovendo a retração dos tecidos e a formação de colágeno.”

Leave a Response