Quarta-feira, Dezembro 7, 2022
Uncategorized

Orientações e Identidades sexuais

91views

Quando se fala de orientação sexual, refere-se à direcção ou à inclinação do desejo afetivo e erótico de cada pessoa por outra pessoa. Já quando se fala em identidade sexual, fala-se sobre as características biológicas de um individuo, ou seja, fala-se de cromossomas, genitálias interna e externa, composição hormonal, gônadas e características sexuais secundárias.

A identidade sexual é o que um indivíduo acredita ser (homem ou mulher). E isto é um processo de construção psicológica que envolve o sexo biológico e o comportamento social. Para um rapaz, acreditar que ele é homem, é preciso primeiro que ele saiba que é do sexo masculino, se reconhecer como homem e saber como um homem deve agir.

Quando isso não acontece, um indivído que nasceu com o sexo masculino não se sente como um homem, pelo contrário, este sente-se como uma mulher que nasceu no corpo errado, podendo ser designados como travestis ou transexuais. Os travestis, são pessoas com uma identidade sexual variável: num momento sentem-se homens, no outro, mulheres. Já os transexuais têm uma identidade sexual fixa, ou seja, acreditam ser homens ou mulheres, só que o seu corpo não corresponde a esse sentir.

A Orientação sexual pode ser entendida como a direção para qual se inclina o desejo de amar e fazer sexo, de acordo com o gênero pelo qual a pessoa se sente atraída.

Parece óbvio que ao nascer um homem se sinta homem e uma mulher se sinta mulher e consequentemente sintam-se atraído pelo seu oposto, entretanto, a aquisição da identidade e da orientação sexual nem sempre é assim tão simples. De acordo com Reproplatina (s.d), ninguém nasce com orientação e identidade sexual definida. Durante o processo de crescimento, o indivíduo aprende e se identifica com o ser homem ou ser mulher, com o gostar de pessoas do mesmo sexo, do sexo oposto, ou de ambos sexos de acordo com as diferentes formas de lhe dar com as diferentes experiências vividas por cada um.

Antigamente esse fenómeno era designado opção sexual, o que levava a crença de que o indivíduo homossexual por exemplo escolhe sentir o desejo que sente por outro homem e poderia muito bem ter optado por sentir esse desejo por uma mulher. A orientação sexual é um desejo que não depende da vontade consciente da pessoa. Ninguém decide ser hétero, homo ou bissexual de uma hora para outra, e muito menos porque é moda ou alguém disse que devia ser assim.

Essas orientações sexuais fora do padrão são contra a natureza do ser humano e ofendem a divinidade criadora entratanto, se pensarmos que Deus foi quem tudo criou e a sua força divina é quem tudo cria então, todo indivíduo na sua plenitude foi criado por Deus e se a homossexualidades, a transexualidade, a bissexualidade e os travestismo não são doenças e fazem parte da essência desses indivíduos também se pode pensar que é tudo obra de Deus.

É natural que se tenha algum preconceito em relação as identidades e orientações sexuais diferentes pois de acordo com a educação e a cultura de cada sociedade cada indivíduo apresenta ideias que aceita serem certas ou verdadeiras e a aceitação de ideias contrárias não é instantânea.

É natural que as pessoas se oponham abertamente e tenham ideias contrárias aos ideais defendidos pela LGTBI, não obstante, é preciso enteneder o que essas pessoas sentem antes de julgar e condenar pois, acredito que em meio a tanta descriminação, violencia física e psicológica, um indivíduo homosexual por exemplo, ciente dessas dificuldades que colocam em risco a sua própria vida optaria pelo mais seguro que seria a heterossexualidade e assim teria o respeito e aceitação social. Todos têm direito de se expressar livrimente e se for o caso de se opor abertamente a certa postura, comportamente, ideia, etc, mas sem violar aquele que é o direito fundamental de todos os seres

Leave a Response