Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Saúde

Medidas a tomar após exposição ao HIV

67views

O trabalhador de saúde que sofre um acidente deverá comunicar de imediato ao seu superior hierárquico, que deverá registar a ocorrência e manter a confidencialidade.
É importante que se tomem cuidados adequados imediatamente após a exposição; a decisão de iniciar
profilaxia deve ser tomada o mais rápido possível.

Leia também sobre : Acidentes pós-exposição ao HIV- Factores de Risco do HIV

Primeiros cuidados

  • Exposição através da pele: limpeza imediata com água e sabão.
  • Exposição de mucosa (boca ou olhos): lavagem prolongada com soro fisiológico ou com água.

A profilaxia pós-exposição (PPE)

A profilaxia pós-exposição é um tratamento de curta duração com medicamentos anti-retrovirais  para reduzir o risco de infecção pelo HIV depois duma exposição ocupacional. Todas as unidades sanitárias devem ter um kit para iniciar a PPE.

A avaliação e a decisão sobre a PPE deve ser feita o mais rápido possível (é preferível iniciar a PPE nas primeiras 4 horas após o acidente, mas pode ser iniciada até 72 horas depois do mesmo). Veja também sobre: Cirrose hepática: Conceito, causas, tratamento e formas de prevenção

A avaliação é realizada pelo trabalhador de saúde responsável por esta actividade.
A primeira medida é testar o doente, se for desconhecido o seu estado HIV. Se for positivo, o trabalhador de saúde deve também fazer o teste. Também se deve verificar os factores de risco de transmissão referidos acima. Se a exposição é mínima (lesão superficial da pele com agulha de sutura ou de pequeno calibre)
não se inicia a PPE.
Doente e trabalhador de saúde HIV-negativos:Não são necessárias quaisquer medidas.

Doente HIV-positivo ou desconhecido e trabalhador de saúde negativo:Iniciar a profilaxia
pós-exposição (PPE) o mais rápido possível.

Doente e trabalhador de saúde HIV-Posetivos : Os dois devem ser encaminhados para o seguimento em consulta apropriada.

Se o trabalhador de saúde for HIV-positivo ou recusa ser testado, não se inicia a PPE.

Se não for possível fazer o teste, inicia-se a PPE e tranfere-se para uma unidade sanitária com mais recursos para avaliação. Sempre que possível, o trabalhador deve levar consigo a amostra de sangue do doente e o relatório clínico.

Se o doente for HIV-positivo e o trabalhador de saúde afectado pelo acidente for negativo, e estiver distante do responsável pela avaliação, deverá deslocar-se o mais rápido possível nas primeiras 24 horas, levando consigo a amostra de sangue do doente e o relatório clínico.

Veja também sobre:Sinais de Infidelidade em um Homem: Esteja blindada sobre estes sinais para que saiba se esta sendo traída ou não

Registo e notificação do acidente
Recomenda-se que o acidente seja registado e notificado.

Monitorização da profilaxia
A monitorização é clínica (avaliar o estado físico e mental do doente) e laboratorial (fazer análises de controle, incluindo o teste do HIV ao fim de 6 semanas e depois, aos 3 e 6 meses).
Além do aconselhamento, é preciso encorajar o trabalhador a tomar os medicamentos de acordo com as instruções e verificar a sua aderência ao tratamento.

O trabalhador de saúde deve seguir as seguintes recomendações:

Leave a Response