Terça-feira, Janeiro 31, 2023
Saúde

Funções vitais da célula ,definição da célula, saiba mais sobre generalidades do Núcleo

64views

1.Funções vitais

Todos os seres vivos podem se reproduzir e crescer, possuem metabolismo, respondem a estímulos do meio e evoluem. Estas características essenciais a vida ocorrem a nível das células e constituem as funções vitais.

Funções vitais da célula

Metabolismo celular

É o conjunto de todos os fenómenos químicos que ocorrem nas células e que são responsáveis pela transformação e utilização de matéria e da energia.

 Homeostase

É a capacidade que a célula tem de manter constante a sua composição interna, independentemente do que possa ocorrer no meio externo.

Contractilidade

É a capacidade da célula se encurtar devido ao encurtamento activo de determinadas moléculas proteicas do seu citoplasma, mantendo o mesmo volume.

 Irritabilidade

É a capacidade que a célula tem de responder aos estímulos do meio.

Divisão celular

É a capacidade que a célula tem de produzir outra célula.

Hereditariedade

É a capacidade que a célula tem de transmitir informações às células filhas. Estas informações

destinam-se a serem usadas pela própria célula e estão contidas nos cromossomas.

2.Definição da célula

A célula é a mais pequena unidade que pode ser isolada e que ainda apresenta todas as

características vitais. Cresce e multiplica-se, dando origem a cópias de si própria. É capaz de

homeostase e apresenta mecanismos próprios de hereditariedade.

Generalidades Sobre o Núcleo

O período em que a célula não se encontra em divisão é denominado interfase .

núcleo interfásico.

O núcleo interfásico dos eucariontes é constituído pelo invólucro nuclear (membrana nuclear), nucleoplasma, cromatina (cromossomas) e nucléolo.

Membrana Nuclear ou Carioteca

A membrana nuclear ou carioteca separa o material nuclear do citoplasma.

A membrana nuclear não é contínua, apresenta poros, que estabelecem comunicação do citoplasma com o interior do núcleo.

Nucleoplasma ou Cariolinfa

Apresenta-se como uma solução aquosa de proteínas e íões que preenche o espaço entre a cromatina e os nucléolos.

Cromatina e Cromossoma

Quando a célula não esta em divisão, os cromossomas apresentam-se como fios muito finos, dispersos no nucleoplasma recebendo o nome de cromatina.

Os cromossomas só se tornam bem visíveis individualizados ao microscópio óptico durante a divisão celular quando sofrem um processo chamado condensação. Neste processo, tornam-se mais curtos e mais espessos, que facilita a visualização. Cada cromossoma é formado por uma única e longa molécula de ADN, associada a várias moléculas de proteínas.

Quando uma célula vai entrar em divisão, os cromossomas duplicam-se ainda na interfase. Cada cromossoma produz um outro idêntico a ele e esses dois filamentos cromossómicos, agora denominados cromatídeos ficam unidos por uma região denominada centrómero.

Os cromossomas pertencentes às células de indivíduos da mesma espécie apresentam forma, tamanho e número constantes, porém variam de espécie para espécie. Enquanto uma célula humana possui 46 cromossomas, o boi possui 60, e o milho 20. Para cada cromossoma há um outro semelhante na forma e no tamanho. No homem contamos 23 pares de cromossomas semelhantes, no boi 30 pares e no milho 10 pares. Dois cromossomas de um par, são homólogos.

Uma célula que apresenta cromossomas aos pares é diplóide (2n) e uma célula que apresenta um cromossoma de cada tipo é haplóide (n). O “n” indica o número de cromossomas diferentes existentes numa célula.

Nucléolo

O núcleo, através dos cromossomas, coordena e comanda todas as funções vitais da célula e é responsável pela transmissão dos caracteres hereditários aos descendentes.

É uma estrutura, não delimitada por membrana, mergulhada no nucleoplasma. Durante a divisão celular, o nucléolo desaparece. Esta estrutura produz ácido ribonucléico (ARN).

Base molecular da hereditariedade: ADN e ARN

O ácido nucléico tem esse nome porque foi descoberto no núcleo das células. É encontrado em todos os seres vivos.

A molécula do ácido nucléico contém todas as informações necessárias para a formação e funcionamento do organismo. Essa molécula determina as características, a composição e as possibilidades de reacções químicas. Sabemos que o que hoje chamamos de gene corresponde a um pedaço da molécula de ácido nucléico. Os genes são responsáveis pelas características; no caso do homem, eles determinam, por exemplo, a cor dos olhos, dos cabelos ou a forma do nariz.

Desse modo, o ácido nucléico representa uma espécie de receita de bolo. O bolo, no caso o organismo, seria fabricado de acordo com as instruções da receita e suas propriedades seriam determinadas por ela.

Leave a Response