Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Biologia

Doenças das plantas

314views

As doenças em plantas são tidas como ausência de saúde nas plantas ou seja, a planta não capaz de exercer todas as funções fisiológicas com normalidade e pode ser provocada por fungos, bactérias, vírus, deficiências nutricionais.

Fungos

Os fungos são plantas, sem clorofilas e de tamanho microscópico e que não pode elaborar por si próprios, o seu alimento através da fotossíntese.

Alimenta-se da matéria orgânica, quando atacam seres vivos são chamados parasitas, e quando vivem da matéria orgânica morta são saprofitas.

São constituídos por filamentos, as hifas que se agrupam formando o micelio são conjunto de hifas. Apresenta de ataques por fungos através de bolores e míldio são bastante destrutíveis.

Propagação é realizada através dos esporos que pode ser da planta infectada a outra por várias vias. Os esporos chegam as folhas das plantas, germinam e hifas crescem dentro delas formando micelio e mais tarde começam a produzir novos esporos. Infectam sementes de plantas atacadas ou afectadas levando a que não germinem plantas doentes.

A propagação também realiza-se através de fragmentação das hifas.

Ex ; míldio, ferrugem, podridão da espiga, mancha castanha.

O controlo das plantas fúngicas faz se utilizando sementes desinfectadas, rotação de culturas, fungicidas e variedades resistentes.

Vírus

Os vírus são microrganismos obrigatoriamente parasitas que podem causar doenças as plantas e animais.

Vivem na seiva das plantas e a sua disseminação dá-se através de insectos sugadores e vectores. Os vectores são insectos sugadores, mas também propaga-se através das sementes da estaca da enxertia.

Provocam diferentes tipos de sementes nas plantas, como o amarelecimento e enrugamento das folhas manchas, reduzem o crescimento e a produção das culturas afectadas.

São designados pelos sintomas que provocam a planta em doença foi inicialmente descrita.

Ex: mosaico da mandioca, mosaico de tabaco, tristeza de citrinos, listrados de folhas de milho.

O controlo das doenças provocadas pelos vírus é muito difíceis, por isso, a aconselham-se um controlo de insectos sugadores com a utilização de insecticidas sistémicos para reduzir a disseminação de vírus. As sachas dos campos ajudam a eliminar os hospedeiros de vírus.

Bactérias

São seres unicelular microscópicos observáveis com o auxílio do microscópico óptico e que se reproduzem por divisão celular e vivem retirando alimentos das plantas. Em condições ambientais favoráveis elas disseminam-se rapidamente pela planta. Provocam danos impedindo as plantas de absorver água suficiente para substituir a perda por transpiração, elas causam emurchecimento em culturais.

Ex: cana-de-açúcar, batata.

Formas de disseminação das doenças

As doenças em plantas podem ser disseminado de planta para outra ou de cultura para outra de diferentes formas:

  • Vento e água – esses transportam a patogenia (fungos, bactérias e vírus) de plantas infectadas para as sãs e disseminam por toda cultura;
  • Insectos – mastigadores ou sugadores podem vinculares doenças;
  • Doenças mais comuns das culturas;
  • Principais doenças causadas por fungos;
  • Aguado do alfobre;
  • Doença comum do viveiro que também ataca plantulas no local definido. Os maiores danos nas sementes e raízes de plantulas durante a germinação tanto antes como depois.

As plantulas são complementarmente destruídas no alfobre ou morrem após o transplanta.

Causa: pyphium spp, phytophtora spp, rhizoctonia spp.

Sintomas – as plantas oriundas apresentam mal formação do calo devido a falta de circulação seiva.

Controlo

  • Tratamento da semente com canídeos de outros fungos antagonistas;
  • Boa drenagem do solo;
  • Tratamento químico (captan, metalaxyl);
  • Evitar fertilizações excessivas do solo com adubos azotados;
  • Rotação de culturas;
  • Evitar densidades altas e adubação excessiva.

Podridão da raiz e do caule

Em geral é por um complexo de vários fungos e bactérias que atacam as plantas prestes atingir a maturação.

Ex: pessegueiros e o abacateiro.

Causa: vuscirium spp, phytium spp, rhizoctonia spp, diplodia sp, scrotium sp.

Sintomas interrupção de crescimento, amarelecimento, murchidão, morte e queda das folha.

Controlo

  • Uso de lavoura profunda;
  • Arranque e queima das plantas atacadas;
  • Uso de variedades resistentes;
  • Uso de semente sãs;
  • Controlo químico.

Queima do frio ou míldio (late bleckt ght)

Afectas as culturas de batata, tomateiro, alface, cebola, couves, melancia, aboboreira.

Causa: phytophtora investantes.

Sintomas – inicialmente aparecem manchas circulares castanho-escuro ou irregulares pequenos normalmente nas pontas ou margens das folhas mais baixas.

Controlo

  • Utilizar variedades resistentes;
  • Tratamento químico (fungicidas);
  • Tratamento da semente;
  • Uso de semente certificada;
  • Remoção de restos de culturas contaminadas.

Míldio (downy mildew)

Afecta as curcubitaceas, videiras, mexoeiras, mapira, arroz, trigo e milho. Alface, girassol, tabaco. É primariamente uma queimadura das folhas que atacam e se disseminam rapidamente tecidos verdes jovens.

Causa: parenextclerospora sp, p.elfura, p.maydis, bremia lectucac.

Sintomas – manchas angulares amarelos-acastanhados na superfície superior das folhas posteriormente tornam-se amarelo-brilhete por vezes a parte interna das manchas torna-se acastanhadas com margens amarela.

Controlo

  • Uso de semente certificada;
  • Uso de variedades resistentes;
  • Uso de plantulas sãs ;
  • Solo bem drenado;
  • Bom compasso;
  • Retirar e destruir plantas infectadas;
  • Evitar rega por aspersão;
  • Rotação de culturas.

Rhizopus (soft rot)

Basicamente afecta produtos colhidos, (armazenados).

Causa;rhizopussopp.

Sintomas – afectam culturas de amendoim, cucurbitaceas, batata-doce, frutas hortaliças,

As áreas carnudas das dos órgãos afectados apresentam-se muito moles em segundas crescem hifas de fungo para fora do fruto através das feridas e compre nas áreas ainda não afectados.

O fungo em crescimento a capa comprido toda a superfície da parte sã do fruto afectado, a qual se torna húmida.

Controlo

  • Evitar lesões nos frutos, raízes ou tubérculos durante a colheita, manuseamento e transporte das colheitas.
  • Manter os produtos em locais limpos e desafectados;
  • Controlar a temperatura e humidade relativa de armazenamento de produtos.

Queimado arroz

Causa: pyticularia spp.

Sintomas caracterizam-se por queimas nas folhas mas que também ocorrer em outra parte da planta como o colmo, panicular e grãos.

De inicio observam-se manchas elípticas pequenas com ponto azuis-esverdeadas ou castanho-avermelhado.

Controlo

  • Utilizar variedade resistente;
  • Tratamento químico (fungicidas);
  • Uso de semente certificado;
  • Remoção de restos culturas contaminadas.
  • Evitar o excesso de adubações azotadas;
  • Sementeiras em solos inundados;

Oídio

Causa: perdas na ordem dos 20 a 40% através da redução do crescimento e da produção.

Ex: cajueiro, mangueira, feijoeiro, melancia, aboboreira e outras culturas cucurbitaceas.

Sintomas – ocasionam a formação de uma massa branca pulverulenta sobre as folhas e caules.

As folhas afectadas podem adquirir cor amarela, a parte inferior dos frutos podem apresentar uma mancha tipo queimadura do solo.

Controlo

  • Uso de variedades resistentes;
  • Uso de boas práticas de culturas;
  • Uso de fungicidas;

Mancha concêntrica (alternaria desease)

Causa: alternaria spp.

Sintomas afectam fundamentalmente as folhas, caules, flores e frutos de plantas anuais especialmente as hortícolas e plantas ornamentais. Os sintomas das doenças aparece como mancha nas folhas e queimaduras, podem causar domping-off das plantulas. As manchas são de cor castanha-escuro ou preto em geral numerosas e grandes.

Controlo

  • Usar variedades resistentes;
  • Utilização sementes não afectadas ou tratada;
  • Fungicidas;

Mancha castanha

A doença ocorre com frequência no verão.

Causa: cercuspora araschidicola.

Sintomas caracterizam-se por manchas de folha de cor castanha-escura e ovais.

Controlo

  • Uso semente não afectada;
  • Rotação de culturas;
  • Fungicidas;

Murcha por fungos

Causa: fosarium sp, vertcifium sp.

Sintomas ocorrem o amarelecimento nas folhas seguidas de emurchecimento, enrolamento e morte. Os sintomas aparecem em primeiro lugar na parte basal das plantas afectada e com o passar do tempo, progridem para a parte apical. As folhas secas permanecem no ramo.

Controlo

  • O uso de variedades resistentes;
  • Remoção e destruição das plantas afectadas;
  • Praticas culturais (rotação de culturas, possui lavoura profunda);
  • Desinfecção do equipamento;

Ferrugem (rustes)

Doenças devastadoras de culturas. Afecta cana-de-açúcar, feijoeiro, trigo.

Ex: no trigo podem ser ferrugem de colmo, ferrugem das folhas.

Causa: poccina spp.

Sintomas – atacam fundamentalmente as folhas e caule e ocasionalmente as flores e frutas. Apresenta-se como manchas ferruginosas cor de laranjas e amareladas.

Controlo

  • Uso de variedades resistentes;
  • Adubação fertilizantes azotadas em formas de nestrados.

Carvão (corn smut)

Causa: ustilago maydis.

Sintomas – caracteriza-se pela forma de pústulas alugadas ou vesículas em todas as partes areias da planta incluindo a espiga, colmo e folhas. Afecta grãos provocando o colaspo e morte nas suas células.

Controlo

  • Uso de sementes hídricas com alguma resistência;
  • Remoção de vinculas antes que abram.

Atrancnose

Causa: fungo.

Ex: cajueiro, papaeiro, videira, feijoeiro.

Sintomas atacam frutos jovens, na papaeira faz crescer seu desenvolvimento, mumificam e caem, aparecem na casca de frutos pequenos pontos pretos.

Controlo

  • Retirar frutos atacados e inteirados;
  • Colher os frutos em estado verde;
  • Pulverizações preventivas (fungicidas).

Principais doenças causadas por bactérias

Queima bacteriana

Causa: psetomanas syring e xanthomonas compestris.

Sintomas caracterizam-se pelo aparecimento de manchas pequenas verdes pálidas de diversas partes nas folhas, caule, flores e frutos, que mais tarde coalecem.

Controlo

  • O uso de variedades resistentes;
  • Higiene;
  • Rotação de culturas;
  • Tratamento com calda bordalesa.

Murcha bacteriana (bacterial wilt)

Afecta a bananeiro, tabaco, tomateiro, batata-reno.

Causa: pseudomanas solanacearum.

Sintomas – caracterizam-se por emurchecimento súbito de plantas jovens, seguida de morte. A murcha ocorre numa das hastas mas rapidamente se expande por toda a planta.

Controlo

  • Uso de variedades resistentes;
  • Rotação de culturas;
  • Uso rizomas e tubérculos sãs;
  • Pousio e gradagem do terreno;
  • Controlo de nematodos;
  • Retirar as plantas atacadas;

Cancro bacteriano (canker and wilf)

Causa: corynebacterium michiganense.

Ex: soja, videira, tomateiro e citrinos.

Sintomas, a doença apresenta-se com mancha cloraticas das folhas, no caule e fruto como murchidão nas folhas e rebentos. As folhas afectadas enrolam-se e tornam-se acastanhadas e brancas mas não caem.

Controlo

  • Utilizar semente não afectada;
  • Aplicar cobre no viveiro.
  • Semente directa (tomateiro);

Principais doenças de vírus

Listrado de milho (maizestreak vírus)

Causa: vírus.

Vectores: jassideos (cicadelidade)

Sintomas – aparecimento de estrias amarelas nas folhas, as plantas afectadas não crescem e muitas não formaram espiga ma deformada.

Controlo

  • Uso de variedades resistentes;
  • Controlo de vectores;
  • Remoção de plantas afectadas;
  • Desinfecção dos instrumentos.

Mosaico do feijão bean mosaic vírus.

Causa;vírus.

Sintomas; e o enfezamento das plantas, um mosaico de cores e uma malformação das folhas. As folhas muitas vezes são mais estreitas e longos que o normal apresentando forma restos de cor verde-escuros ao longo das nervuras e as margens encurvadas para baixo.

Controlo

  • Utilizar semente certificada;
  • Utilizar variedades resistentes;
  • Controlo e eliminação de plantas infectadas;
  • Arranque e queima de restos de culturas;
  • Controlo de vectores.

Enrolamento da folha

Os sintomas primários aparecem no final do ciclo vegetativo das plantas que tiverem sido infectadas no inicio da campanha.

Ex: batateiro, arroz, videira.

Sintomas – as folhas mas novas ficam enroladas permanecendo as mais velhas normais geralmente fica mais clara e a Pagina inferior torna-se as vezes de cor purpera.

Controlo

  • Usar uma semente certificada;
  • Usar semente de variedades resistentes;
  • Não plantar na direcção dos ventos predominantes;
  • Retirar e destruir todas as plantas infectadas;
  • Combater os vectores;
  • Evitar níveis elevados de adubação azotada.

Métodos de controlo de doenças nas plantas

As doenças nas plantas podem ser controladas recorrendo métodos mencionados no controlo de pragas.

Muitas das doenças de plantas podem ser controladas ou evitadas através da adopção de algumas de precaução e implementação de boas práticas de culturas.

Controlo de infestantes

Muitos dos agentes disseminados pelos insectos podem persistir nas ervas da minha e depois transportados para as culturas logo que comecem a crescer no inicio da campanha.

Leave a Response