Terça-feira, Janeiro 31, 2023
Biologia

Conceito de Gametogénese,Espermatogénese e Ovogénese: Comparação entre espermatogénese e ovogénese

GAMETOGÊNESE ESPERMATOGÊNESE OVOGÊNESE
111views

Gametogénese é o processo pelo qual os gâmetas são produzidos nos organismos dotados de reprodução sexuada. O evento fundamental da gametogénese é a meiose, que reduz à metade a quantidade de cromossomas das células, originando células haplóides , chamadas gâmetas, o óvulo e o espermatozóide. O óvulo é o gâmeta feminino e o espermatozóide o gâmeta masculino.

Veja também : Conceito de Reprodução e Tipos de Reprodução

Tanto o óvulo como o espermatozóide é formado por meiose de células denominadas germinativas, que são diplóides. São formadas em órgãos especializados, as gónadas que são de dois tipos: as femininas e as masculinas. As gónadas femininas são os ovários, que produzem óvulos; as gónadas masculinas são os testículos, que produzem espermatozóides.

Saiba ainda mais em : Desenvolvimento para Reprodução Humana :Gametogénese e Ovogénese

O processo de formação dos gâmetas denomina-se gametogénese. Sendo dois os tipos de gametogénese:

  • espermatogénese: formação dos espermatozóides;
  • ovogénese: formação dos óvulos.

Espermatogénese

A Espermatogénese começa na fase embrionária, em que as células diplóides germinativas dos testículos do embrião multiplicam-se activamente por mitose (período germinativo). As células assim formadas são as espermatogónias ou espermatócitos jovens.

A espermatogénese processa-se segundo quatro períodos:

  • Período germinativo
  • Período de crescimento
  • Período de maturação
  • Período de diferenciação

Entre o nascimento e a puberdade há um período de pausa nas mitoses formadoras de espermatócitos jovens. Na puberdade, o processo mitótico é retomado. Formam-se constantemente mais espermatócitos jovens, que passam por um certo período de crescimento e se transformam em espermatócitos primários. Então, começa a meiose. Cada espermatócito primário efectua a primeira divisão meiótica, originando dois espermatócitos secundários, que farão, em seguida, a segunda divisão meiótica originando quatro células haplóides, as espermatides, que por um processo de diferenciação celular, conhecido como espermiogênese, transforma-se em espermatozóides.

O espermatozóide humano pode ser dividido em três regiões: cabeça, peça intermediária e cauda. Na cabeça situam-se o núcleo e acrossoma. O acrossoma é uma transformação do complexo de golgi e é nele que estão as enzimas que irão digerir a membrana do óvulo, na fecundação. A peça intermediária apresenta muitas mitocôndrias, responsáveis pela liberação da energia necessária à movimentação do espermatozóide, que é efectuada pela cauda, um flagelo modificado.

Em cada ejaculação do homem são libertados cerca de quinhentos milhões de espermatozóides. A espermatogénese se processa desde a puberdade até o fim da vida.

A Ovogénese

Nos ovários, encontram-se agrupamentos celulares chamados folículos ovarinos de Graff, onde estão as células germinativas, que originam os gâmetas.

Nas mulheres, apenas um folículo ovarino entra em maturação a cada ciclo menstrual, período compreendido entre duas menstruações consecutivas e que dura, em média, 28 dias. Isso significa que, a cada ciclo, apenas um gâmeta torna-se maduro e é liberto no sistema reprodutor da mulher. Os ovários alternam-se na maturação dos seus folículos, ou seja, a cada ciclo menstrual, a libertação de um óvulo, ou ovulação, acontece em um dos dois ovários.

A ovogénese é dividida em três etapas:

Período germinativo ou de multiplicação ou ainda de proliferação: É uma fase de mitoses consecutivas, em que as células germinativas aumentam em quantidade e originam ovogónias. Nos fetos femininos humanos, a fase proliferativa termina por volta do final do primeiro trimestre de gravidez. Portanto, quando uma menina nasce, já possui em seus ovários cerca de 400 000 ovogónias. É uma quantidade limitada, ao contrário dos homens, que produzem espermatogónias durante quase toda a vida.

Fase de crescimento: As ovogónias. Passam por um notável crescimento, com aumento do citoplasma e grande acumulação de substâncias nutritivas. Esse depósito citoplasmático de nutrientes chama-se vitelo, e é responsável pela nutrição do embrião durante seu desenvolvimento. Terminada a fase de crescimento, as ovogónias transformam-se em ovócitos primários (ovócitos  de primeira ordem ou ovócitos I). Nas mulheres, essa fase perdura até a puberdade, quando a menina inicia a sua maturidade sexual.

Fase de maturação: Dos 400 000 ovócitos primários, apenas 350 ou 400 completarão sua transformação em gâmetas maduros, um a cada ciclo menstrual. A fase de maturação inicia-se quando a menina alcança a maturidade sexual, por volta de 11 a 15 anos de idade.

Quando o ovócito primário completa a primeira divisão da meiose, origina duas células. Uma delas não recebe citoplasma e desintegra-se a seguir, na maioria das vezes sem iniciar a segunda divisão da meiose. É o primeiro corpúsculo (ou glóbulo) polar.  A outra célula, grande e rica em vitelo é o ovócito secundário (ovócito de segunda ordem ou ovócito II). Ao sofrer, a segunda divisão da meiose, origina o segundo corpúsculo polar, que também morre em pouco tempo, e o óvulo, gâmeta feminino, célula volumosa e cheia de vitelo.

Leia mais sobre :Etapas e Conceito da Ovogênese

O óvulo:

O óvulo e uma célula normalmente imóvel e maior que o espermatozóide. É no citoplasma do óvulo que se encontra o vitelo ou deutoplasma, substância que serve de alimento ao embrião.

Comparação entre espermatogénese e ovogénese:

Tanto no espermatogénese como no ovogénese há período germinativo, de crescimento e de maturação. O que diferencia os dois é o período de diferenciação, ausente na ovogénese.

Na ovogénese, cada oogónia dá origem a um óvulo e glóbulos polares (células não funcionais) e, na espermatogénese, cada espermatogónia dá origem a quatro espermatozóides.

A Fecundação

Para que surja um novo indivíduo, os gâmetas fundem-se aos pares, um masculino e outro feminino, que possuem papéis diferentes na formação do descendente. Essa fusão é a fecundação  ou fertilização.

Ambos trazem a mesma quantidade haplóide de cromossomas, mas apenas os gâmetas femininos possuem nutrientes, que alimentam o embrião durante o seu desenvolvimento. Por sua vez, apenas os gâmetas masculinos são móveis, responsáveis pelo encontro que pode acontecer no meio externo (fecundação externa) ou dentro do corpo da fêmea (fecundação interna).

Quando a fecundação é externa, tanto os machos quanto as fêmeas produzem gâmetas em grande quantidade, para compensar a perda que esse ambiente ocasiona. Muitos gâmetas são levados pelas águas ou servem de alimentos para outros animais. Nos animais dotados de fecundação interna, as fêmeas produzem apenas um ou alguns gâmetas por vez, e eles encontram-se protegidos dentro do sistema reprodutor.

Conclusão

O corpo é constituído por dois tipos de células: as somáticas que formam o corpo e as reprodutoras que se destinam a perpetuação da espécie ou seja os gâmetas. As células somáticas formam-se por mitoses sucessivas. A formação dos gâmetas denomina-se gametogénese que é o processo de formação dos espermatozóides e do óvulo. Partindo da união dessas células (fecundação), originam-se as células diplóides conhecida como ovo ou zigoto que ao se desenvolver dará origem a um novo ser.

Leia mais em: Leia e aprenda.com

Leave a Response