Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Biografias

Biografia de Noémia de Sousa

99views

“Biografia de Noémia de Sousa
Noémia de Sousa (Carolina Noémia Abranches de Sousa) nasceu em 20 de setembro de 1926, em Catembe, Moçambique. Morou nesse distrito até os seis anos de idade, quando foi viver em Lourenço Marques (atual Maputo). Antes, porém, com quatro anos de idade, aprendeu a ler e escrever com seu pai, um funcionário público que valorizava o conhecimento e a literatura.

Com oito anos de idade, a poetisa ficou órfã de pai. A mãe dela, então, precisou sustentar, sozinha, os seis filhos. Além dessa perda, a menina também precisou enfrentar o preconceito racial e, como relata a própria autora em uma entrevista, foi ridicularizada por um homem branco por estar lendo um livro, quando tinha aproximadamente dez anos de idade.

O fato de ter sido alfabetizada por seu pai foi um diferencial na vida da autora, pois, na época, as pessoas negras em Moçambique não tinham acesso à educação. E, apesar de Noémia ter conseguido ingressar em uma escola, segundo a própria escritora, ela era a única pessoa negra na instituição.

Mais tarde, com dezesseis anos, depois de trabalhar durante o dia, a escritora estudava, à noite, na Escola Técnica, onde cursava Comércio. Além disso, publicou seu primeiro poema — “Canção fraterna” — no Jornal da Mocidade Portuguesa. Escreveu também para o semanário O Brado Africano.

Ela assinava seus textos apenas com iniciais e acabava surpreendendo aqueles que descobriam ser ela a autora. Assim, sua participação no Movimento de Unidade Democrática Juvenil (MUDJ), suas amizades com certos intelectuais, além de seus textos e pensamentos considerados subversivos, levaram a autora a ser monitorada pela Polícia Internacional de Defesa do Estado (PIDE).

Por isso, em 1951, ela exilou-se em Lisboa. Ao sair de Moçambique, encerrou sua carreira como poetisa. No entanto, em 1986, escreveu um poema em homenagem ao presidente moçambicano Samora Machel (1933-1986), por ocasião de sua morte, intitulado 19 de Outubro.

Antes, porém, em 1962, ela casou-se com o poeta Gualter Soares, com quem teve uma filha. E, por volta de 1964, fugindo da ditadura em Portugal, foi viver na França, onde trabalhou como jornalista. Mas, em 1973, voltou a Portugal e passou a trabalhar na agência Reuters.

Apesar de a autora não ter livros publicados, seus textos poéticos eram famosos e divulgados a partir da publicação de antologias de poesia moçambicana. Desse modo, Noémia de Sousa, por sua obra literária e suas ideias, era bastante conhecida quando morreu em 04 de dezembro de 2002, em Lisboa.”

Características da obra de Noémia de Sousa
A poetisa Noémia de Sousa é considerada a mãe dos poetas moçambicanos. Quase todas as suas poesias, com exceção de uma, foram escritas em apenas três anos, de 1948 a 1951. E apresentam as seguintes características:

  • Versos livres.
  • Aspecto nacionalista.
  • Crítica sociopolítica.
  • Prevalência da voz feminina.
  • Afirmação da negritude.
  • Exaltação da cultura africana.
  • Traços do gênero narrativo.
  • Caráter intimista e memorialístico.
  • Forte emotividade.
  • Elementos nostálgicos.
  • Adjetivação e exclamação abundantes.
  • Uso recorrente de anáfora e aliteração.
  • Presença de parataxe e apóstrofe.
  • Temáticas:
  • infância;
  • esperança;
  • injustiça;
  • opressão;
  • cotidiano do subúrbio.

Obras de Noémia de Sousa
Sangue negro é o único livro de Noémia de Sousa, publicado em 2001, pela Associação dos Escritores Moçambicanos. Entre os poemas constantes dessa publicação, merecem destaque:

“Nossa voz”.

“Súplica”.

“Se me quiseres conhecer”.

“Deixa passar o meu povo”.

“Negra”.

“Samba”.

“O homem morreu na terra do algodão”.

“Poema de João”.

“Poema a Jorge Amado”.

“Sangue Negro”.

“Quero conhecer-te África”.”

Consulte outras biografias em :

Leave a Response