Quarta-feira, Fevereiro 1, 2023
Saúde

A importância do uso limitado de antibióticos

98views

Deve ser limitado o uso de medicamentos para as situações em que são realmente necessários. No caso dos antibióticos, pelas seguintes razões:

  1. Intoxicações e reacções. Os antibióticos não matam apenas as bactérias, mas podem também prejudicar o organismo, por intoxicação ou causando reac-ções adversas .Veja –Uso correcto dos antibióticos,regras gerais e especificas para o uso dos antibioticos,O que fazer se um antibiótico parece não fazer efeitor
  1. Alterações do equilíbrio natural. Nem todas as bactérias que estão no corpo são prejudiciais. Pelo contrário, algumas são necessárias para o corpo funcionar normalmente. Os antibióticos muitas vezes matam também as bactérias que ajudam o corpo. No bebé a quem é dado um antibiótico, aparecem às vezes infecções por fungos na boca (candidíase oral ou “sapinhos”,

Na mulher que tomou antibióticos, aparece às vezes um corrimento vaginal causado por candida . Isto acontece porque os antibióticos matam as bactérias que ajudam a controlar os fungos.

Pelas mesmas razões, as pessoas que tomam amoxicilina ou outros antibióticos de largo espectro, durante vários dias, podem ficar com diarreia. Os antibió-ticos podem matar alguns tipos de bactérias necessárias para a digestão e desta forma prejudicam o equilíbrio natural do intestino.

  • Resistência ao tratamento. A razão mais importante para limitar o uso dos antibióticos é que

QUANDO OS ANTIBIÓTICOS SÃO USADOS EM EXCESSO, ACABAM POR TER MENOS EFEITO.

Quando atacadas repetidamente pelo mesmo antibiótico, as bactérias criam mecanismos de defesa que as tornam “mais fortes” e esse antibiótico já não as consegue matar. As bactérias tornam-se resistentes ao antibiótico.

Por causa da resistência, certas doenças perigosas, tais como a cólera, se tornaram mais difíceis de tratar do que há uns anos atrás. Em alguns lugares, a bactéria que causa a cólera (vibrião colérico) tornou-se resistente à doxiciclina, que é habitualmente o melhor antibiótico para a tratar. A doxicilina foi usada em excesso para combater infecções ligeiras que poderiam ter sido tratadas com outros antibióticos mais seguros e com a mesma eficácia (efeito), ou para as quais não era necessário usar nenhum antibiótico.

No mundo inteiro, doenças infecciosas graves estão a ficar resistentes aos antibióticos – principalmente porque estes são usados em excesso para tratar infecções ligeiras. A produção de novos antibióticos está a ocorrer a um ritmo mais lento do que o do surgimento de resistências, deixando poucas alternativas. Se queremos que os antibióticos continuem a salvar vidas, o seu uso deve ser  muito mais limitado do que é actualmente. Isto depende do seu uso cauteloso por parte dos trabalhadores de saúde e dos doentes.

Para a maioria das infecções ligeiras os antibióticos não são necessários e não devem ser usados. Pequenas infecções da pele podem, geralmente, ser tratadas com muito sucesso lavando somente com água e sabão. A melhor maneira de tratar infecções ligeiras do aparelho respiratório é beber muitos líquidos, comer

bem e descansar. Para a maior parte das diarreias não há necessidade de usar antibióticos e estes até podem ser perigosos. O mais importante é que uma criança com diarreia tome muitos líquidos e coma o suficiente logo que aceite comer.

Os antibióticos são uma arma potente. Não se deve usar antibióticos  para infecções que o corpo pode combater sozinho. Reservar os  antibióticos para quando eles são, realmente, necessários.

Fonte: Fonte: David Werner, Carol Thuman, Jane Maxwell. Onde Não há Medico. Londres, 2009

Leave a Response